VISITAS

7 de janeiro de 2015

A Jornada


Os primeiros passos são os mais difíceis, são doloridos, cheios de angústia e insegurança... Porém, não é permitido interromper a caminhada. Continuamos a caminhar sempre, quando se sente cansado eis que, aparece uma mão amiga para ajudá-lo com isto esta jornada fica um pouco mais leve, porém não menos árdua.

Quando pensas “qual é a busca”? Alguém lhe diz, é algo maravilhoso, vai encontrar-te, serás feliz e terás tudo o que sempre quis...!

Se o preço para ter coisas tão boas são somente, pés calejados, mãos feridas e braços arranhados.... Então esta caminhada vale a pena, pensas logo, vamos continuar!

Quando finalmente alcanças o alto da montanha depois da longa caminhada o que encontras és: um belo pôr-do-sol.

Algo tão simples, tão singelo e era possível vê-lo também abaixo, ao pé da montanha... Então coloco-me a pensar, “aonde está o que vim buscar?”, o que disseram-me que encontraria.

Mas a sabedoria – a mãe de todos diz: “Ela está aonde você quer que ela esteja, basta saber reconhecê-la, admirá-la e agradecê-la. Assim terás contigo para onde fores o seu bem precioso, a busca infinita pela qual todos buscam e poucos a reconhecem!”.   Hoje, sei que a grande sabedoria não se encontra no topo da montanha, mas sim na escalada, onde existe a dificuldade, as belezas raras, momentos surpreendentes que tiram o fôlego, surpresas a cada nova curva, a curiosidade pelo desconhecido, o encontro com alguém conhecido, a alegria de conhecer um novo alguém, o carinho de um afago, uma lágrima de alegria, de dor ou de saudade...

Tudo isso, tudo isso compõe a nossa sabedoria e enriquece a nossa aventura, nossa grande e pequena jornada – A Vida.
 
 


(Lílian Neves)