VISITAS

23 de março de 2016

Liberdade & Amor




Me deixe livre,
Não me ronde,
Não me cerque.

Não me obrigue há nada,
Mas, se souberes pedir
Podes ter tudo.

Sou de alma leve, e espírito livre.
Sou riso fácil, mas difícil de confiar.
Sou rasa, sou profunda.

Não gosto de correntes, e prisões.

Sou uma dama da monarquia,
Mas, por vezes,
Sou a rainha no baile da favela.

Não me julgue, não me rotule.

Vivo em constante mutação.
Vivo a busca constante pela evolução.
Vivo em busca do vento libertador
E do sopro do saber.

Me jogo de braços abertos
Com os cabelos ao vento...
E palavras fogem ao vento...

Fecho os olhos e confio,
No Universo,
No infinito,
No macro,
No tudo...

Não aprisione meu coração,
Ele é livre.
Confio apenas no amor que liberta,
E, não naquele que aprisiona.

Sigo rumo ao pôr-do-sol...
Sigo em direção ao vento...
Sigo a borboleta que livre voa...
Sigo o caminho genuíno do amor.

Sou um passarinho itinerante.
Vibro, pulso e respiro,
Liberdade... e... Amor!



(Lílian Neves)