VISITAS

18 de outubro de 2010

(...) não quero viver na zona franca da existência.

“E hoje eu descobri que sou assim, não nasci para ser fútil com a mente vazia, tenho meus gostos estranhos, minhas manias, esse é o meu jeito e eu sou feliz assim. As vezes posso até me deixar levar, mas logo percebo que não quero viver na zona franca da existência.”
 
 
 
(Valentina Mascarenhas)